Todo ano, neste mês do jornal, eu geralmente falo sobre as festas juninas. Primeiro, porque quando  vou às comunidades assistir à Celebração da Vida nesse mês vejo sempre  o interesse das pessoas em saberem mais sobre as origens da festa, o porquê da fogueira, dos balões, das bandeirinhas e também porque eu adoro festas juninas!



Achei na internet, principalmente no site da Brasil-Escola, outras informações que ainda não tinha colocado em anos anteriores. Como já tinha escrito aqui, nos países católicos como Portugal, que colonizou o Brasil, essas festas eram conhecidas como Joaninhas. Então, a festa recebeu esse nome para homenagear João Batista, primo de Jesus, que, segundo as escrituras bíblicas, gostava de batizar as pessoas, purificando-as para a vinda de Jesus. Assim, passou a ser uma comemoração da Igreja Católica, onde homenageiam três santos: Santo Antônio, São João e São Pedro.

A festa realizada em volta da fogueira simboliza a proteção para as colheitas e como é realizada num mês mais frio ela serve também para aquecer e unir as pessoas. De início, cada santo tinha uma fogueira diferente, sendo quadrada se Santo Antônio, redonda de São João e a triangular de São Pedro. Os fogos espantam os maus espíritos, além de servir para acordar São João com o barulho.

Os balões indicavam o início da festa e foram criados para reverenciar os santos. Os balões não são mais usados, porque podem ocasionar vários incêndios, caindo em locais perigosos e destruindo a natureza.

As bandeirolas surgiram porque os três santos homenageados na festa tinham suas imagens pregadas em bandeiras coloridas e imersas em água, a famosa lavagem dos santos. Com isso, acredita-se que a água fica purificada, fazendo a purificação das pessoas que se molham com elas. Com o passar do tempo, essas bandeiras foram sendo substituídas pelas bandeirinhas menores, que trazem a mesma ideia de purificar o ambiente da festa.

No dia da Celebração da Vida de junho, no qual geralmente vocês, líderes, fazem as comemorações juninas, vocês podem contar alguma coisa para as crianças e as famílias do que escrevi aqui. Podem convidar as crianças para fazerem uma oração para o santo que escolherem, pois é importante que as crianças participem ativamente da oração de celebração de um dia que é organizado para elas, não é? Um abraço a todos!

Márcia Mamede
Assistente Técnica da Pastoral da Criança
 
Fonte: Jornal da Pastoral da Criança nº163 – junho 2010

Banner Home Direita museu da vida

Banner Home Direita museu da vida

Banner Home Direita museu da vida

Banner Home Direita museu da vida